Tudo Sobre Concurso Público

Em que consiste a doença de Alzheimer?

diabetes e alzheimeA Doença de Alzheimer é a causa mais comum de demência, contribuindo com 60 a 70% dos casos. Na Doença de Alzheimer, há morte de células do cérebro progressiva e irreversivelmente, com atrofia das zonas afectadas. É mais comum entre as pessoas com mais de 50 anos.

Esta doença manifesta-se inicialmente por alterações da memória, que se vão agravando. Posteriormente, instala-se a confusão, não reconhecimento de familiares e amigos e alterações comportamentais. Por vezes, existe agressividade e não reconhecimento do próprio ao espelho .Com a evolução da doença, tornam-se totalmente dependentes para as atividades de vida diária, com dificuldades extremas de comunicação, incontinentes e frequentemente acamados.

A doença de Alzheimer não tem cura. O tratamento dos desequilíbrios químicos no cérebro deve ser equacionada pelo médico, sendo mais eficaz na fase inicial da doença e tendo um efeito temporário, não impedindo a progressão da doença. A intervenção psicossocial é também mais eficaz no início da doença.

Quais são os sinais de alerta?

1)  Ter esquecimentos com mais frequência, sobretudo se forem acontecimentos recentes, sem se recordar posteriormente dos mesmos.

2) Ter dificuldade em executar tarefas do quotidiano; por exemplo, pode ser incapaz de preparar uma refeição ou não se lembrar que já se alimentou.

3) Não se lembrar de palavras simples ou substituir as palavras por outras descontextualizadas, tornando o seu discurso difícil de perceber.

4) Perder a noção do tempo e desorientar-se em locais conhecidos, ignorando como chegou ali e/ou como regressar a casa.

5) Perder o bom senso; por exemplo, vestir roupa extremamente desadequada às condições climatéricas ou desvalorizar situações graves.

6) Ter dificuldades com o pensamento abstrato ; por exemplo, esquecer o que são os números e o cálculo ou não compreender o que é um aniversário.

7) Arrumar objetos em locais completamente desajustados; por exemplo, colocar um telemóvel no forno ou um pente no saco de pão.

8) Ter rápidas alterações de humor (choro ou ansiedade) sem razões para isso;

9) Ter  comportamentos inadequados,  tornando-se extremamente confuso, desconfiado, calado, apático ou com medo.

10) Perder a iniciativa, tornando-se extremamente passivo e a necessitar continuamente de estímulo para desenvolver qualquer ação.

Alzheimer e Diabetes

Diversos estudos comprovam a forte ligação entre o alzheimer e o diabetes. A diabetes é uma doença que afeta o sistema endócrino do corpo humano. Com diabetes, o pâncreas pára de produzir ou produz muito pouca insulina, um hormônio necessário para o organismo utilizar a glicose (açúcar) no sangue de forma eficaz e utiliza-lá como energia. Diabetes também pode ocorrer quando as células do nosso corpo se tornam resistentes à insulina liberada pelo pâncreas. Sem insulina suficiente, os níveis de glicose no sangue irão aumentar, dando origem a problemas de saúde a longo prazo se não for tratada.

Apesar da gravidade das complicações da diabetes, é possível manter a doença sob controle com o consumo de alimentos para diabeticos que não afetam diretamente os níveis de glicose no sangue. Veja no vídeo abaixo a explicação detalhada do médico, Dr.Rocha, especialista em diabetes.

Um diagnóstico o mais precoce possível conta com uma melhor resposta. Esteja atento!

Veja também: 7 passos para uma vida saudavel e o fim do diabetes funciona

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Alimentação do Concurseiro

dieta da proteínaExistem diversos modelos de dietas no mercado. Dietas que deixam você comer de tudo, que só deixam você tomar sopa, que concentra as refeições, que as divide ao longo do dia, de pouca proteína, de muita proteína, etc. Dentre todas essas, algumas das que se tornaram relativamente famosas foram as dietas de baixo nível de carboidrato, por apresentarem resultados rápidos.

Mas será que elas são realmente as melhores dietas que existem por aí? Quais as vantagens e desvantagens das dietas de baixo carboidrato?

Em primeiro lugar, as dietas com pouco carboidrato tendem sim a otimizar a perda de peso, porém elas são tão difíceis – ou até mais – de se manter fiel quanto às demais dietas por aí. O comprometimento é fundamental e a rigidez no controle dos carboidratos também. Esqueça as fugidinhas à geladeira no meio da noite. Estudos associam as dietas de baixo carboidrato a uma diminuição do apetite, o que só ajuda na luta contra a balança. Razão provável para isso é o fato de essas dietas compensarem o valor nutricional da refeição com gorduras – boas, de preferência, como as insaturadas – e proteínas, que são macronutrientes de digestão bem mais lenta que os carboidratos que, consequentemente, prolongam a sensação de saciedade.

Outro segredo dessas dietas é que, ao ingerir pouco carboidrato, o corpo tende a buscar energia nas fontes já existentes, produzindo combustível direto das gordurinhas já presentes no nosso corpo. Além disso, essas dietas de baixo carboidrato tendem a diminuir o colesterol da corrente sanguínea, principalmente se a fonte de carboidratos for substituída por alimentos com gorduras insaturadas.

Suplementos Alimentares

Mas nem só com dietas é possível diminuir o consumo regular de carboidratos. Existem pílulas disponíveis no mercado, como o Dietrine, por exemplo, que diminui a síntese de carboidratos pelo organismo, eliminando-os sem que tenham a chance de serem transformados em energia, obrigado o corpo a agir como se passasse por uma dessas dietas. Tudo isso com componentes 100% naturais que não apresentam contraindicações. Uma alternativa válida para quem não tem a disciplina necessária para uma dieta.

Seja como for, dietas de baixo carboidrato não são as respostas para todas as perguntas. Cada indivíduo se sai melhor com determinadas dietas, outro com outras. Procure se informar e irá descobrir uma maneira inteligente e eficiente de perder peso rapidamente. Em todo o caso, evite fazer alterações bruscas no seu estilo de vida, seja cortando alimentos ou iniciando exercícios físicos, antes de se consultar com um médico ou nutricionista. A melhor arma contra a balança não são as dietas: são as informações, aliadas a muita força de vontade e disciplina.

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn